terça-feira, 10 de abril de 2012


Dicas Treinamento

Já foi dito que a saúde do galo deve apresentar uma constante desde o seu nascimento até o seu treinamento . Só devemos destinar às competições aves sadias e vigorosas, amadurecidas, ou seja, após 14 a 18 meses de idade. Por quê ? Aves combatentes demoram mais para calcificar seus ossos e fortalecer a musculatura, fatores que só advém por completo com a maturidade.

É difícil explicar o manejo dos galos porque é uma coisa que se aprende mais vendo pessoas mais experientes e, principalmente, com a prática. O que apresento a seguir é bem geral pois existem até aparelhos para exercitar galos e exercícios mais sofisticados, feitos inclusive em tanques com água, mas nosso objetivo é apenas orientar o galista iniciante. Apesar de alguns entenderem muito de galos, ninguém sabe TUDO sobre galos e todos nós sempre teremos algo de novo para aprender. É isso que é importante no treinamento de galos e até talvez, para a nossa vida...

Dois fatores são fundamentais: ALIMENTAÇÃO E ESPAÇO. Como todo atleta o galo necessita de uma dieta rica porém balanceada. Uma sugestão: Milho quebrado (5 partes) + Aveia (2 partes) + Girassol (1 parte) + Sementes (1 parte) + Verduras e Legumes (1 parte) + Complexo Vitamínico-Mineral.

ESPAÇO: O ideal seria que permanecessem em passeadores o tempo todo, sempre se movimentando. PASSEADORES: 2 mts. X o,80 X o,80 (ideal)

O treinamento manual visa apenas estimular e exercitar aquilo que no galo é natural: BATER AS ASAS, CORRER, , PULAR .Podemos usar uma mesa que forraremos com espuma de 10cms e revestiremos com um pedaço de carpete.

1. PULOS: Colocando-se a mão sob o peito da ave, executa-se um movimento de elevação como se fossemos jogar a ave para cima. Ela instintivamente bate as asas e aterrisa na mesa estofada, o que também fortalece os músculos flexores da s coxas. Existem variações na altura conforme evolui o treinamento. Com a prática, usando-se as duas mãos ( sob o peito e sobre a cauda), podemos inclinar a ave para trás durante o pulo, o que a forçará a bater as asas com mais força.

2. ASAS: Na própria mesa, usando-se a beirada, segura-se a ave pela cauda e inclina-se para baixo. Instintivamente se desencadeia uma seqüência de batidas de asas para retornar ao equilíbrio. Aos poucos vamos notando um aumento da capacidade respiratória, mesmo porque estamos exercitando os maiores músculos das aves que são os peitorais e responsáveis por uma boa parte do consumo de oxigênio.Também podemos construir um cavalete para isso ou um trapézio mas não são todas as aves que se acostumam com eles. Nunca segure muito firme na cauda da ave enquanto ela não estiver acostumada com os exercícios porque eles às vezes se assustam e, para se soltarem, rodopiam no seu próprio eixo e largam o rabo na sua mão...Por isso, muito cuidado no manuseio das aves para evitar a quebra de penas e torções que sempre atrasam no treinamento.

3.CORRER: Alguns usam a própria mesa, segurando a ave pela cauda, fazendo ela executar instintivamente movimentos com as pernas mas o ideal é construir uma mesa giratória ( como um disco de vitrola) onde se pode segurar a ave com mais comodidade para ela com a vantagem de podermos aplicar uma resistência progressiva na rotação do "prato" o que vai aumentando também a força e resistência dos músculos.Vamos ver se conseguimos um desenho ilustrativo para disponibilizar aqui no site.

Após os exercícios alguns treinadores ainda aplicam massagens na musculatura dos galos o que é muito bom quando feito de maneira correta, sem traumatizar a pele da ave, aplicando-se após uma loção adstringente que cada um tem uma receita mas é sempre uma alcoolatura de tinguaciba, barbatimão e anjico e que alguns acrescentam seus "ingredientes secretos".(cânfora, salicilato de metila, mentol e outros).

Nos dias de calor, é bom dar banhos nas aves usando-se sabão neutro ou de côco, enxugá-las muito bem e colocá-las ao sol para terminarem de secar. Evitar os dias frios e com ventos. Usar então as "estufas" gaiolas fechadas com lâmpadas para aquecerem e secarrem as penas.

AS ESCORVAS: ou o treinamento de luta propriamente dito. As parelhas devem ser pesadas e medidas e colocados os protetores (BUCHAS E BIQUEIRAS) dos quais existem vários modelos e preferências, visando o mínimo de dano as aves. O que se deseja é avaliar a força, os métodos de briga, as qualidades enfim. Com a observação notaremos as particularidades de cada um e encontraremos o "escorveiro" ideal para êle . No início, escorvas de 15 a 20 minutos são ideais. Com o decorrer do treinamento podemos aumentar o tempo para 40 minutos divididos em 2 tempos de 20' . Não se justificam hoje, escorvas demoradas. Procura-se agilidade e rapidez nas decisões e não sacos de pancada.

TOSA DAS PENAS: Também outro assunto controverso: de uma maneira geral adota-se a tosa das penas e plumas do baixo-ventre, interior das côxas e parte interna das asas que se justificam até para melhor manuseio, higiene e refrigeração. Alguns retiram também as penas laterais do pescoço mas hoje não se justifica mais esse procedimento. São costumes, não técnicas, herdados de outros tempos e outras culturas.

O BOM SENSO: Jamais destinar a uma competição a ave que não apresentar os mínimos requisitos para tal : Má saúde, defeitos, precária preparação física ou mesmo falta de qualidades competitivas são fatores determinantes porque estaremos submetendo essa ave a uma prova que ela não poderá superar por estar em desigualdade de condições e o que não é igual é injusto.

Lema básico: " AMOR , PACIÊNCIA E MUITA, MUITA OBSERVAÇÃO"

Creditos: Recanto Galo de Ouro
Fotos: Criatório Colina

MÉTODO DE TREINAMENTO

1ª SEMANA
10 repetições
DIARIAMENTE
ATÉ QUINTA
10 PULOS ALTOS
5 P/FRENTE
5 P/TRÁS
ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE
SOL E PASSEADOR.
2ª E 4ª
ACRESCENTAR
ALÉM DOS
PULOS
PESCOÇO
10 FLEX. VERTIC.
10 FLEX. HORIZONT.
10 ALONGAMENTO E
ENCURT.(S).
10 AGACHAMENTOS
10 VAI E VEM
10 DEITAR C/PERNAS ALONG.
SEXTA, SÁBADO
E DOMINGO
ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR
OBS: NÃO BATER NESTA SEMANA

2ª SEMANA

10 repetições

TUDO IGUAL À SEMANA ANTERIOR.
SÁBADO
DAR UMA BIQUEIRA FECHADA DE 10 MINUTOS COM O ESCOVEIRO
SEXTA E
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR

3ª SEMANA
15 repetições
TUDO IGUAL À SEMANA ANTERIOR. PORÉM AUMENTA TODOS OS EXERCÍCIOS EM 5.(MENOS OS EXERCÍCIOS DE PESCOÇO)
SÁBADO
DAR UMA BIQUEIRA FECHADA DE 20 MINUTOS COM O ESCOVEIRO. LAVA NOS 10.
SEXTA E
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.

4ª SEMANA
15 Repetições
TUDO IGUAL À SEMANA ANTERIOR.
SÁBADO
DAR UMA BIQUILHA DE 10 MINUTOS COM O ESCOVEIRO.
SEXTA E
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.

5ª SEMANA
20 repetições
TUDO IGUAL À SEMANA ANTERIOR. PORÉM AUMENTA TODOS OS EXERCÍCIOS EM 5. (MENOS OS EXERCÍCIOS DE PESCOÇO).
SÁBADO
DAR UMA BIQUEIRA FECHADA DE 20 MINUTOS COM O ESCOVEIRO. LAVA NOS 10.
SEXTA E
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.

6ª SEMANA
20 repetições
TUDO IGUAL À SEMANA ANTERIOR.
SÁBADO
DAR UMA BIQUILHA DE 20 MINUTOS COM O ESCOVEIRO. LAVA NOS 10.
SEXTA E
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.

7ª SEMANA
25 repetições
TUDO IGUAL À SEMANA ANTERIOR. PORÉM AUMENTA TODOS OS EXERCÍCIOS EM 5. (MENOS OS EXERCÍCIOS DE PESCOÇO).
SÁBADO
DAR UMA BIQUEIRA FECHADA DE 30 MINUTOS COM O ESCOVEIRO. LAVA NOS 15.
SEXTA E
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.

8ª SEMANA
25 repetições
TUDO IGUAL À SEMANA ANTERIOR.
SÁBADO
DAR UMA BIQUILHA DE 30 MINUTOS COM O ESCOVEIRO. LAVA NOS 15.
SEXTA E
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.

9ª SEMANA
30 repetições
TUDO IGUAL À SEMANA ANTERIOR. PORÉM AUMENTA TODOS OS EXERCÍCIOS EM 5. (MENOS OS EXERCÍCIOS DE PESCOÇO).
SEXTA,
SÁBADO E
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.
OBS: NÃO BATER NESTA SEMANA.

10ª SEMANA
30 repetições
TUDO IGUAL À SEMANA ANTERIOR.
SÁBADO
DAR UMA BIQUEIRA FECHADA DE 30 MINUTOS COM O ESCOVEIRO. LAVA NOS 15.
SEXTA E
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.

11ª SEMANA
30 repetições
TUDO IGUAL À SEMANA ANTERIOR.
SÁBADO
DAR UMA BIQUILHA DE 20 MINUTOS COM O ESCOVEIRO. LAVA NOS 10.
SEXTA E
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.

12ª SEMANA
30 repetições
DE SEGUNDA A
SÁBADO
15 PULOS PRÁ FRENTE
15 PULOS PRÁ TRÁS
ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.
DOMINGO
SÓ ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR.13ª SEMANA

DIARIAMENTE
ATÉ 3 DIAS
ANTES DE IR
AO RINHADEIRO
ESCOVA, MASSAGEM, BANHO DE SOL E PASSEADOR COM PISO DE MADEIRA PARA O GALO NÃO CISCAR.
EVITAR EXPO-LO À CHUVA OU AO FRIO.
NOS 3 ÚLTIMOS DIAS NÃO COLOCÁ-LO NO PASSEADOR PARA EVITAR DESGASTE.

OBS: TODAS AS BATIDAS DEVERÃO SER EFETUADAS
COM O ESCOVEIRO DE BIQUEIRA FECHADA.
ALIMENTACÃO DURANTE O TREINAMENTO

Segue abaixo um tipo de alimentação que poderá ser usado durante o período de treinamento.

60% de Milho quebrado
40% de Ração para pombo correio

Acrescenta na hora de fornecer aos galos o seguinte:

Cebola (diariamente)
Alho(diariamente)
Cenoura (diariamente)
Ovo (alternando com banana)
Mel de Rapadura (duas vezes pôr semana)
Couve (diariamente)
Banana (alternando com ovo)
Leite em pó (diariamente)

VITAMINAS e CUIDADOS

SEGUE ABAIXO UMA SEQÜÊNCIA DE VITAMINAS E ALGUNS PROCEDIMENTOS QUE PODERÃO SER USADAS DURANTE O TREINAMENTO E APÓS O COMBATE.

Antes de iniciados os treinamentos deveremos ter o cuidado de proceder a desverminacão das aves que poderá ser feito oferecendo ao galo, de forma oral, 1 ml de SISTAMEX, que deverá ser repetido na 8a semana de treinamento.

VITAMINAS

FOL-SANG B12 – Aplicar 1ml intramuscular nas seguin
tes semanas: 1a, 3a, 5a, 7a, 9a e 11ª.

ENERBESOL - Oferecer 1ml oral nas seguintes sema
nas: 2a, 4a, 6a, 8a, 10a e 12ª.

FERRO SM - Oferecer 1ml oral nas seguintes sema
nas: 1a e 5ª.

GLICOPAN
ENERGY - Oferecer 1ml oral todas as segundas,
quartas e sábados, após os exercí-
cios de mãos e batidas.

OBS: Na 13a semana usar apenas 1ml de
PHENODRAL intramuscular 3 dias
antes de ir ao rinhadeiro.

CUIDADOS APÓS O COMBATE

Após toda a limpeza da ave, banhar toda a região afetada com Salva-galo.

Aplicar pomada Ganadol, Masticlor ou mesmo Silvamsteril Spray em todos os ferimentos.

Aplicar 0,2ml de Azium e ½ ml de Benzetacil tudo intramuscular.

Dar 1 comprimido de AAS infantil para evitar febre.

Aplicar pomada Eptezan nos olhos para evitar qualquer problema de visão.

OBS: Esse tratamento com Azium e Benzetacil deve ser repetido por 3 dias alternados. Porém no caso de febre o AAS deverá ser dado diariamente.

ALIMENTAÇÃO APÓS O COMBATE

A alimentação nas primeiras 24 horas após o combate, deverá ficar à base de soro Enerstid ou água de coco.

Após o período de 24 horas o galo poderá ser alimentado com alimentação pastosa(Ex.: pão com leite ou ração inicial p/pintos molhada com leite).

Pelo menos durante os 3 primeiros dias o galo deverá ficar em gaiola totalmente fechada, ao abrigo do vento.

OBS.: A presente orientação tem uma única
finalidade que é a de ajudar ao ini-
ciante a cuidar de suas aves com um
mínimo de critério e orientação. Po
dendo assim levar seus combatentes
ao rinhadeiro com um mínimo de con-
dições.

2 comentários:

  1. sera que todos os blogs são iguais? é só copiar e colar? mais criatividade por favor...

    ResponderExcluir